Menu

    A festa do gol nas Copas de 2014 e 2018

    A festa do gol nas Copas de 2014 e 2018

    Futebolisticamente, esse ano de 2018 ficou marcado pela realização da Copa do Mundo na Rússia. A França retornou ao topo do futebol mundial ao bater a Croácia na final, sucedendo à Alemanha. Hoje estabelecemos uma comparação entre a Copa de 2014, no Brasil, e a edição mais recente, disputada na Rússia.

    2014

    Para lá da grande festa dentro e fora as arquibancadas e dos estádios espalhados por todo o país – foi a segunda maior Copa em termos de assistências nos estádios -, a Copa do Mundo 2014 fica para a história como a edição com maior número de gols, igualando a marca registrada em 1998. Em termos de média de gols por jogo, a competição surge apenas na 13ª posição, perdendo para as nove edições que decorreram até 1970, bem como para as edições de 1978, 1982 e 1994 – se apontaram, em média 2,67 gols por jogo. A maior média de gols de sempre em uma edição da Copa do Mundo aconteceu no ano de 1954, quando se marcaram 140 gols em 26 partidas, o que perfaz uma média de 5,38 gols por encontro.

     

    2018

    A Copa do Mundo FIFA de 2018 ficou a três gols de bater o recorde de maior número de tentativas apontadas em uma só edição. Foram marcados 169 gols em 64 desafios, perfazendo uma média de 2,64 gols por desafio.

    Para além de ter sido a Copa do Mundo com maior número de gols contra (12), a competição ficou marcada pelo elevado número de gols marcados na sequência de escanteios, cobranças de faltas e pênalits. As melhores odds para o mercado de gols estão na Betway, importando ter em conta a questão das bolas paradas, situação que poderá ser tendência nessa época esportiva 2018/19. Dos 169 gols marcados durante a Copa do Mundo 2018, 72 surgiram precisamente na sequência de bolas paradas, batendo máximos nesse sentido: segundo a FIFA, a Copa com maior número de gols na sequência de bolas paradas até então era a Copa de 1998, com 62 tentativas na sequência dessas situações.

    Uma vez que a Copa do Mundo 2014 igualou o número máximo de gols em uma só edição do torneio e a de 2018 ficou a dois de igualar o recorde, está bom de ver que estamos perante duas edições bem equilibradas em termos de média de gols marcados por jogo, com benefício para a Copa de 2014 em uma diferença de apenas 0,03 – 2,67 gols contra 2,64.

    Nas primeira fase (grupos), a média de gols por jogo foi bem equilibrada. As principais diferenças se verificaram a partir da etapa a eliminar. No caso da Copa do Mundo 2014, a goleada aplicada pela Alemanha ao Brasil (7-1) fez com que a média de gols em 2014 fosse muito mais alta. Já na final, há uma vantagem larga para a Copa do Mundo da Rússia, uma vez que se verificaram seis gols – vitória por quatro a dois da França diante da Croácia – ao passo que em 2014 uma tentativa solitária de Gotze já na prorrogação foi suficiente para derrotar a Argentina.

    Estatísticas globais

    Nunca uma edição da Copa do Mundo teve uma média de gols abaixo de 2,20 gols/jogo. O pior registro correspondeu ao da Copa de 1990 com uma média de 2,21 gols por jogo. Já o máximo corresponde à Copa do Mundo de 1954 com 5,38.

    Artilheiros

    No que toca à componente individual, o equilíbrio entre as últimas edições da Copa do Mundo também se verifica. Em 2014, o colombiano James Rodríguez foi o artilheiro do torneio com seis gols apontados, tantos quanto Harry Kane, atacante da seleção inglesa, na Copa do Mundo 2018. O recorde de gols em uma só edição da Copa do Mundo continua a pertencer ao francês Just Fontaine, autor de 13 gols ao serviço da França na Copa do Mundo 1958. O último brasileiro a terminar uma edição da Copa do Mundo no topo da lista de artilheiros foi Ronaldo, o “Fenômeno” que se sagrou artilheiro da Copa do Mundo 2002, na Coreia do Sul/Japão, com oito gols marcados. O registo de Ronaldo é o melhor desde 1974.