Menu

    Guardiola: números de sua passagem pelo Barcelona

    Números de Guardiola pelo Barcelona

    Infográfico detalhado com os principais números de Pep Guardiola no comando do Barcelona entre as temporadas de 2008/2009 e 2011/2012

    Chegada do clube

    Pep Guardiola assumiu o comando da equipe principal do Barcelona no início da temporada de 2008/2009. Inicialmente, caberia ao novo treinador liderar uma renovação de um elenco que havia vencido o título europeu de 2005/2006, mas que dava sinais de fim de ciclo. Nas duas temporadas posteriores ao título da Liga dos Campeões 05/06, a equipe conquistara apenas um título, o da Supercopa da Espanha de 2007. Dessa forma, caberia ao novo comandante recolocar a equipe catalã no caminho das grandes conquistas.

    Entre suas primeiras medidas, coube deixou claro que não contaria com outrora líderes da equipe, como os experientes Ronaldinho, Deco, Edmílson. Por fim, já em sua primeira temporada à frente do Barcelona, Guardiola mostrou que a equipe trilharia novos rumos, tendo Messi como grande protagonista. Já em sua temporada de estreia no comando da equipe, a equipe alcançou o histórico sexteteao vencer a Liga Espanhola, Copa do Rei, Mundial de Clubes, Supercopa Europeia, Supercopa Espanhola e o principal a Liga dos Campeões da UEFA.

    2009/2010 – mudanças e eliminação dramática

    A temporada seguinte ao sextete, entretanto, apresentaria novos desafios para Pep Guardiola. Com a saída de Samuel Eto para a Internazionale, o Barcelona apostou na contratação de Ibrahomvic para o comando do ataque. O casamento Barcelona-Ibra, entretanto, não seria tão bem sucedido como o esperado: apesar de uma média razoável de 0,48 gol por jogo pela equipe catalão (21 em 43 jogos), em nenhum momento o sueco teve o mesmo impacto que havia sido apresentado pelo centroavante camaronês. Assim, apesar de voltar a vencer três títulos na temporada (Liga Espanhola e as Supercopas Europeia e Espanhola), o clube catalão encerrou 2009/2010 com o gosto amargo da eliminação na Liga dos Campeões da UEFA, nas semi-finais. Para piorar, a queda se deu diante da equipe que tinha no comando do ataque seu antigo atacante, Samuel Eto.

    2010/2011 – de volta ao Topo

    Em 2010/2011, no entanto, Pep Guardiola voltaria a colocar o Barcelona no rumo das principais conquistas. Com um futebol dominante e um time muito entrosado, a equipe passou a maior parte da temporada vencendo seus jogos de forma contuntende, muitas vezes sem dar chances aos adversários. No meio-campo, a trinca Busquets-Xavi-Iniesta controlava as partidas com absoluto controle da posse, além de rápida retomada quando perdia o controle. Por sua vez, no ataque, Lionel Messi seguia assombrando o mundo com seu futebol. Por fim, encerrada a temporada de 2010/11, a equipe venceu os títulos da Liga Espanhola, Supercopa dda Espanha, Mundial de Clubes  a Liga dos Campeões da UEFA. Dessa forma, a única exceção da temporada acabaria sendo a derrota na final da Copa do Rey, para o maior rival, o Real Madrid.

    2011/2012 – a despedida

    Em sua última temporada no comando do Barcelona, Pep Guardiola voltava a receber novas peças em seu elenco. Como destaques, as chegadas de Fábreas e Aléxis Sánchez. Em 2011/2012, a equipe teve sua temporada de melhor desempenho ofensivo (182 gols marcados) e maior saldo de gols (+134). Apesar disso, a última época de Pep no comando da equipe seria marcada pelas perdas dos principais títulos. Na Liga Espanhola, a equipe acabaria sendo superada pelo Real Madrid de José Mourinho. Por sua vez, na Liga dos Campeões da UEFA, uma surpreendente eliminação diante do Chelsea, nas semi-finais, encerraria o sonho de mais um título europeu. Finalmente, encerrada a temporada, Guardiola se despediria do Barcelona, rumo ao Bayern de Munique.

     

    Fonte para os dados: ZeroZero.pt, Soccerway.com e Site Oficial do Barcelona.