Menu

    Raio-X de todos os 1002 gols de Romário

    Todos os gols de Romário

    Romário é um dos poucos jogadores da história a superar a marca de 1000 gols no futebol mundial. Abaixo, um infográfico detalhado com todos os 1002 gols do Baixinho, conta que leva em conta também jogos e não-oficiais.

    Fonte para a lista completa de gols: GloboEsporte.com

    O início

    A a contagem dos gols do Baixinho tem início ainda em 1979, quando atuava pelo infantil do Olaria. Entre o fim de 1979 e o início de 1980, contabilizou 7 gols pela equipe da Rua Bariri. Logo depois, Romário deixaria o Olaria rumo às categorias de Vasco.

    Chegada ao Vasco

    Posteriormente, entre 1980 e 1984, Romário balançaria a rede adversária 59 vezes pela categoria de base do Vasco, entre as categorias de juvenil e juniores. Seu bom futebol e sua notável capacidade de marcar acabariam por, finalmente, levar o baixinho a estrear pela equipe principal. Em agosto de 1985, enfim, Romário daria seus primeiros passos no futebol profissional.

    Imeadiamente após se juntar à equipe principal do clube de São Januário, o atacante causaria impacto: tendo estreado apenas no segundo semestre, foram 24 gols marcados pelo clube ainda no ano de estreia. Além disso, o baixinho já havia anotado 11 tentos defendendo a Seleção Juvenil no Mundial sub-20 daquele ano. Encerraria o ano, portanto, com 35 gols anotados.

    Entre 1986 e 1988, Romário seguiria colecionando artilharias e títulos pelo Vasco. No total de sua primeira passagem pelo clube da colina, o centroavante balançou as redes 183 vezes, sendo 124 pela equipe principal. Além disso, pela equipe principal do Vasco, conquistou os títulos estaduais de 1987 e 1988. Por fim, o futebol de altíssimo nível já havia feito do atacante um jogador de Seleção, o que acabarir por chamar atenção de clubes europeus. Finalmente, em meados de 1988, Romário deixou o Vasco rumo ao PSV, da Holanda.

    Futebol europeu: Holanda e Espanha

    Romário chegou ao PSV logo após a campanha brasileira nos jogos olímpicos de 1988, competição na qual a equipe ficou com a segunda colocação. Finalmente, quase dez anos após marcar seus primeiros gols na categoria infantil, o baixinho chegava ao futebol europeu.

    Inicialmente, sua caminhada no futebol do velho continente teve início na Holanda: entre 1988 e 1993, Romário anotou 165 gols defendendo o PSV. Dessa forma, escreveu seu nome na história de um dos maiores clubes do país com uma média absurda de gols e, também, com títulos. Pela equipe de Eindhoven, o centrovante conquistou três vezes a liga nacional (89/89, 90/91 e 91/92), além de conquistar duas vezes a Copa Nacional (88/89 e 89/90).

    Foi durante sua passagem pelo PSV que Romário disputou sua primeira Copa do Mundo, a de 1990. Prejudicado por um retorno recente de lesão grave, no entanto, o atacante pouco pode contribuir com a Seleção na campanha que terminaria com a eliminação para a Argentina, nas oitavas-de-final. Finalmente, em meados de 1993, Romário encerraria sua passagem pelo futebol holandês, rumo ao Barcelona.

    Barcelona e o Tetra

    Entre 1993 e o fim de 1994, Romário atingiu seu auge no futebol ao encantar o mundo tanto pelo Barcelona quanto pela Seleção. Imediatamente em sua estreia oficial, o baixinho marcou os três gols de sua equipe em uma vitória por 3×0 sobre a Real Sociedad, pela Liga Espanhola, atuação que serviria de aperitivo para o que estaria por vir em sua passagem pelo futebol espanhol. Posteriormente, ao fim da temporada, os 30 gols de Romário (recorde na época) acabariam levando sua equipe ao título espanhol de 1993/1994. No entanto, o desfecho de sua temporada inicial do Barcelona acabaria tendo algum sabor amargo, com a derrota da equipe na final da Liga dos Campeões da UEFA, com uma goleada sofrida diante do Milan, por 4×0. Finalmente, encerradas as competições do clube, Romário partiria rumo à disputa da Copa do Mundo dos Estados Unidos.

    Entre junho e julho de 1994, Romário, enfim, viveria seu maior momento da carreira: com um futebol de altíssimo nível, o baixinho foi o principal jogador do Brasil na conquista do Tetra, o quarto título mundial da Seleção Brasileira. Dessa forma, o craque encerraria o ano de 1994 sendo eleito melhor jogador da Copa e também melhor do mundo.

    Retorno ao Brasil: Flamengo

    Entre 1995 e 1999, Romário atuou no Flamengo, onde teve como principais conquistas a Copa Mercosul de 1999 e os Campeonatos Cariocas de 1996 e 1999. Sua passagem, no entanto, passou por alguns altos e baixos. Atuando pelo rubro-negro, o baixinho sofreu algumas derrotas marcantes em decisões, como na Supercopa/1995, e dos torneios Rio-São Paulo e Copa do Brasil de 1997. No meio desse período, o centroavante atuou duas vezes pelo Valencia, nos segundos semestres de 1996 e 1997. Por fim, no total de sua passagem pelo rubro negro, Romário marcou 204 gols em 240 jogos. Finalmente, em novembro de 1999, o baixinho deixou o Flamengo rumo ao rival, o Vasco.

    Outras passagens pelo Vasco

    Entre o fim de 1999 e o início de 2008, Romário teria algumas idas e vindas em sua relaçao com o Vasco da Gama. Inicialente, em seu primeiro retorno, o baixinho ficou marcado pelo incrível ano de 2000, que anotou 66 gols pelo clube e 7 pela Seleção. O desempenho do craque pelo Vasco acabaria resultando nos títulos do Campeonato Brasileiro e da Copa Mercosul de 2000. No ano de 2001, o centroavante voltaria a ser artilheiro do Brasileirão. Desta vez, entrentanto, o desempenho da equipe não foi suficiente para sonhar com título, tendo ficado fora da fase de mata-mata.

    Após passagens por Fluminense e Al-Sadd entre 2002 e 2004, o baixinho chegaria ao Vasco para sua terceira passagem, no ano de 2005. A caminhada, no entanto, não seria tão tranquilo. Com o clube financeiramente frágil, Romário encontrou um time que nem sequer chegou perto de conquistar o estadual e que seria eliminado de forma vexatória da Copa do Brasil, pelo pequeno Baraúnas.

    O segundo semestre de 2005, no entanto, represantaria mais um bom momento do atacante com a camisa do clube de São Januário. Após um péssimo início de Brasilerião, a equipe contratou o técnico Renato Gaúcho para escapar da zona de rebaixamento, e a decisão teve resultado. Com uma bela campanha de recuperação, a equipe conseguiu se distanciar do risco de queda. Romário, por sua vez, contribiu com 22 gols – o que garantiu ao centroavante sua terceira artilharia de Campeonatos Brasileiros. Dessa forma, também, o baixinho se tornaria o atleta mais velho a liderar a tábua de goleadores do maior torneio nacional: o feito se deu quando Romário estava a pouco menos de dois meses de completar 40 anos de idade.

     

    Fluminense

    Entre a metade de 2002 e  o fim de 2004, Romário defendeu o tricolor das Laranjeiras. Pelo Fluminense, o Baixinho anotou 48 gols. Como destaque, a campanha de recuperação da equipe no Brasileirão de 2002, onde Romário marcou o gol que classificou o Fluminense para a fase de mata-matas. Posteriormente, nas quartas-de-final, o tricolor teve a chance de eliminar o São Caetano, equipe que havia sido algoz nos playoffs do Brasileirão de 2000. Nas semi-finais, entretanto, o futegol e os gols de Romário não seriam suficientes para evitar a eliminação para o Corinthians.