Menu

Luka Modric – números e estatísticas

Luka Modric - estatísticas

Luka Modric – números

Modric - estatísticas
ClubeJogosGolsAssistênciasMédiaPart. diretas
Real Madrid52439790,07
Tottenham15617230,11
Dinamo Zagreb1123000,27
TOTAL792861020,11

Um dos maiores jogadores dos últimos anos e da temporada, Luka Modric é um meio-campista croata que atua pelo Real Madrid e pela Seleção Croata. Aos 37 anos, foi convocado para disputar a Copa do Mundo 2022 no Catar. Veja as melhores estatísticas Modric.

Antes de tudo, foi eleito o Melhor Jogador do Mundo no ano de 2018 e é considerado o maior jogador croata da história do futebol. Iniciou sua trajetória no futebol pelo Dínamo Zagreb, em 2003.

Passou por empréstimo pelo Zrinjski Mostar e Inter Zaprešić, antes de voltar ao Dínamo e se transferir para o Tottenham em 2008, onde ficou até 2012, quando assinou com seu atual clube, Real Madrid.

Pelos Merengues, ganhou notoriedade mundial e se tornou um dos maiores jogadores da atualidade. São três La Ligas, uma Copa do Rei, quatro Supercopas da Espanha, cinco UEFA Champions League, três Supercopas da UEFA e quatro Mundiais de Clubes.

Pela Seleção Croata, seu grande feito foi levar seu país até o vice-campeonato da Copa do Mundo de 2018, quando foi eleito o Melhor Jogador da Copa do Mundo 2018. Confira abaixo a Modric estatísticas.

Principais estatísticas Modric

Dentre os principais números Modric, se destacam as assistências, pois o croata é um excelente construtor de jogadas e, apesar da idade, segue sendo o motorzinho dos times em que atua. Assim, nos clubes em que passou, tem 122 assistências para gols na carreira. Por outro lado, também anotou uma quantidade significativa de gols na carreira, com 96 tentos.

Meio-campista tecnicamente talentoso, Modrić costuma ser destacado como um craque criativo e que define o ritmo da partida controlando a posse de bola no meio do campo.

Foi amplamente elogiado por muitos especialistas, técnicos e outros jogadores do futebol por seus passes rápidos e chutes de longa distância. Também tem ótima técnica nos passes e chutes de trivela, bem como por sua compostura e habilidade de escapar de roubadas de bola sob pressão.

É conhecido por sua inteligência tática e versatilidade tanto no ataque quanto na defesa. Igualmente por sua visão de jogo, interpretação do espaço e força de trabalho. Antigamente um meia-atacante, Modrić é considerado um veterano de construção de jogo, muitas vezes criando espaço e tempo para seus companheiros chutarem ou fazerem passes para gol.

Ele também é eficaz em cobranças de bola parada, principalmente escanteios ou cobranças de falta. Modrić tem sido fundamental para o sucesso do Real Madrid e da Seleção Croata, tendo conquistado vários prêmios individuais por suas contribuições ao clube e ao país.

Seu estilo de jogo lhe rendeu vários apelidos na mídia e no fandom, incluindo “Maestro”, “Mágico”, “o mestre das marionetes”, entre outros. Ele também foi comparado a um maestro de orquestra por sua capacidade de controlar o plano de jogo de sua equipe ou ditar o ritmo da partida.

A visão, técnica, ritmo de trabalho e outras habilidades de Modric contribuíram para seu sucesso. Com todas as equipes que jogou, ele foi muito elogiado, mesmo que essa equipe não tenha conquistado muito em termos de troféus.

Para se entender o tamanho da grandeza de Luka Modric para o futebol croata, seu estilo de jogo fluido e criativo lembrou muito do grande jogador holandês Johann Cruyff, do qual Modric ganhou o apelido de “Croatian Cruyff” (Cruyff Croata).

Além de todos os números Modric, o camisa 10 tem uma centena de prêmios individuais. Inclusive, ele foi o primeiro jogador a quebrar a hegemonia Messi-Cristiano Ronaldo como melhor jogador do mundo.

Apesar de ter sido contestado pelo título de melhor do mundo de 2018, no qual todos apontavam para Cristiano Ronaldo, o meia croata foi provando que tinha totais condições de ter sido melhor do mundo.

Inclusive, após a saída de Cristiano Ronaldo do Real Madrid, o atleta, juntamente com o clube espanhol, tiveram uma renovação natural no elenco e conseguiram ganhar mais uma Champions League sem o astro português e lenda da camisa 7 madridista.